sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Brahman, ou o "Vácuo Cósmico" da Física Quântica?

Está em um antigo texto hindu:

"Invisível é o Brahman e, todavia, está em todas parte. A mão não pode contê -lo, mas ele tudo abrange. Não pode ser visto, pois dele é que vem a luz. Ninguém pode senti- lo,  pois todo o senti dele provém. Por transformação, dele nasce tudo o que existe e acontece, mas ele permanece sempre o mesmo. Nada o surpreende, e nenhuma palavra diz, seja a que respeito for. Tudo vê, e tudo permite que aconteça. Tudo nele é inquietação, mas ele mesmo permanece tranquilo. Assim como dele todas as coisas surgiram, assim a ele regressam todas; por isso é paciente e tranquilo."

Esta passagem de um antigo texto hindu que expressa Brahman, é a perfeita definição do "Vácuo Cósmico", da Física Quântica.

É aqui, nesta nova fase do conhecimento, que a Religião e Ciência se reencontrarão.

Consciência atormentada

O ódio que o ego inferior tem ao Eu superior não é outra coisa senão a voz da sua consciência atormentada.

Nunca o ego humano é tão cruel quanto quando ele vê diante de si um Eu divino que,  com sua simples presença, lhe diz como ele deveria ser, mas não como ele é. Todos os horrores da paixão e morte de Jesus correm por conta do Ego adâmico, e nada tem a ver com um plano premeditado de pagamento dos nossos pecados.

O Cristo interno

"A mesma seiva divina que circula no tronco da videira, circula também nos ramos dela", isto é, o espírito divino que é o Cristo em Jesus, é idêntico ao espírito divino que existe em todos os seres humanos. Jesus afirma que a presença de Deus é uma realidade em todo o ser humano

- "O Pai está em mim, o Pai também está em vós" - 

mas a consciência e atuação do espírito divino variam de pessoa a pessoa. A presença de Deus é a mesma em todo homem, mas o que cristifica o homem é a consciência e a vivência dessa presença Divina.

Redenção - "os dois Eus"

Se a verdadeira natureza do homem se resume no seu ego - isto é, no seu elemento físico - mental - emocional que, por via de regra, chamamos pessoa, personalidade (do latim Persona que quer dizer máscara) - então é evidente que a redenção do homem não pode vir dele, porque este ego é precisamente o autor do pecado - e como poderia o pecador redimir o pecador?
Essas forças - Satã e Cristo - estão dentro do homem, fazem parte da sua natureza mental - espiritual.  O Satan do Ego, que se rebela contra Deus - e o Cristo do eu, ou alma, "esse espírito de Deus que habita no homem".
Pecado e Redenção dependem da soberania que este ou aquele elemento conquistar o homem. Se o ego satânico prevalecer, torna-se o homem pecador, se o Eu crístico nele provalecer, torna-se o homem remido, justo, santo.
São os "dois Eus" que fala a epístola de São Paulo aos romanos, a "lei da carne" (ego)e a "lei do Espírito" (Eu): "Está en mim  querer o bem, mas não o poder...
Quem peca no homem é o seu ego humano, a sua "persona" ou máscara, mas não seu verdadeiro Eu, a sua alma, o "espírito de Deus que nele habita", esse não peca nem pode pegar. O Lúcifer do ego peca -  o Cristo do eu redime do pecado.

Trecho extraído do livro "O Cristo Cósmico e os Essênios", de Huberto Rohden.

Sete regras que ajudaria a viver melhor:

1 - Deixe de pensar demasiado. Não dê tantas voltas buscando respostas. Elas chegarāo no momento exato.    

2 - Faça as pazes com seu passado; perdoe, libere e deixe ir.  Viva a plenitude do presente.                
 
3 - Não se preocupe com o que os demais pensam de ti.        
                       
4 - Dê tempo ao tempo. Isto ajuda a curar as feridas e a compreender melhor as situações.            

5 - Nunca compare sua vida com a de outras pessoas. Isto tira a paz. Valore a si mesmo.             
        
6 - Sua felicidade depende de ti. É bom criar e ter projetos; fazer planos. Mas, viva o hoje.        
        
7 - Seja amável consigo mesmo. Melhore o conceito que faz de si. Elabore as metas a curto e médio prazo. Para não se frustrar no caminho, pense que tudo é um processo. Aprenda a fluir com a vida e viverás de maneira harmônica e  mais tranquila. Lembre-se, na própria desordem existe uma ordem.

Um conto

Moacir Scliar em um artigo seu relata uma história contada por Simone de Beauvoir onde uma mulher, maltrada pelo marido, arranjara um amante, a cuja casa ia uma vez por semana. Para visitar o amante tinha de atravessar um rio e podia fazê-lo de duas maneiras: por barca ou por uma ponte. Ocorre que nas vizinhanças havia um conhecido assassino, motivo pelo qual a mulher a evitava. Um dia, demorou-se mais que de costume, e quando chegou ao rio, o barqueiro não quis levá-la, dizendo que seu expediente tinha terminado. A mulher pediu ao amante que a acompanhasse até a ponte, mas este recusou, alegando cansaço. A mulher resolveu arriscar, e o assassino a matou.

        Simone então pergunta: quem é o culpado? O barqueiro burocrata? O amante negligente? Ou a própria mulher, por adúltera? E comenta:

        - Em geral, as pessoas culpam um destes três, mas ninguém se lembra do assassino. É como se fosse normal para um assassino assassinar.

Ser cristão

A mente moralista se condiciona a pensar de forma maniqueísta, no bem e no mal.

Desta forma, fica fácil o sistema manipular a sua mente para lhe induzir a se posicionar sempre a favor de uns e ficar contar outros.

Muitas vezes a verdade é ilusoriamente construída pelo sistema, com a ajuda da mídia,  para justificar a sua violência em busca de mais poder e riqueza.

Siga os ensinamentos de Cristo que é um bom caminho para não se deixar enganar.

Aprenda a refletir.

Perceba o que Jesus afirmava sobre os julgamentos com pesos diferentes, e sobre "atirar a primeira pedra".

Acima de tudo perceba que foi exatamente o sistema quem condenou Jesus como criminoso.

Nunca se esqueça que Mandela foi durante muito tempo considerado pelo sistema como um terrorista.

Perceba que todos esses nomes citados se colocaram à favor de mais direitos para os das camadas mais baixas.

De outra forma, não se considere, por favor, um cristão.

Jean Piaget

"Se o indivíduo é passivo intelectualmente, não conseguirá ser livre moralmente... "